Governança: conceitos de risco e perigo

Criado em em: 23 de janeiro de 2024 / Atualizado em: 23 de janeiro de 2024 Visualizações: 45

No tema de hoje da editoria sobre Governança na Libertas, serão apresentados dois conceitos fundamentais para a gestão de riscos da Fundação: risco e perigo. Apesar de muitas vezes serem usados como sinônimos, eles definem diferentes situações.

Compreender bem os conceitos e suas definições é fundamental para saber identificar e prevenir situações que requerem atenção.

Perigo, segundo o dicionário Priberam, é definido como: “aquilo que tem o potencial de causar dano a algo ou a alguém”. Já a palavra risco, é definida como: “probabilidade da ocorrência de danos, geralmente em função da exposição a um perigo”.

Por exemplo, uma tempestade com raios pode ser considerada um perigo, se observada a partir de um lugar seguro, como uma casa ou um prédio com para-raios. Porém, a mesma tempestade se observada de um campo aberto, ou mesmo de uma praia, representa um risco, já que nessa situação, a pessoa está exposta a um perigo real.

Quando utilizada com sabedoria e precauções de segurança, uma fonte de perigo pode se tornar um risco aceitável e ser até muito útil. Por exemplo, uma chama de fogo pode ser considerada arriscada, mas quando usada com segurança, pode ser utilizada como uma aliada, seja para cozinhar, fazer uma fogueira etc. O importante é saber identificar e calcular o risco de se expor ao perigo, e decidir se essa equação vale a pena, ou seja, se o risco é controlável.

A Fundação Libertas está exposta a riscos?

A Libertas está exposta a alguns tipos de riscos de diversas naturezas, como: estratégicos, financeiros, atuariais, de imagem, legais, de terceirização, previdenciais, operação de planos de saúde, operacionais e socioambientais, por exemplo.

Porém, é importante destacar, que todos eles são mapeados e monitorados diariamente por meio de controles internos rigorosos como políticas e diretrizes, Código de Conduta e Ética e instruções normativas e manuais.

A prioridade da Fundação é garantir a segurança e a tranquilidade dos participantes, assegurando que seus investimentos estejam protegidos.

Relembre outras matérias sobre o tema

Libertas conquista Selo de Autorregulação em Governança de Investimentos

Governança: saiba o que são riscos sistêmicos

Governança: entenda o conceito do Modelo das Três Linhas

Governança: saiba mais sobre o gerenciamento de riscos da Fundação Libertas

Governança: saiba mais sobre os órgãos estatutários e comitês da Libertas

Conheça o Programa de Compliance da Libertas

Governança na Libertas: conheça o trabalho das áreas de Compliance e Auditoria Interna

Conheça a estrutura organizacional da Libertas e seu funcionamento

Conheça o Canal de Ética da Libertas e saiba como e quando utilizar